Se eu tivesse que comprar um carro por 2000€... - Página 3

Página 3 de 3 PrimeiraPrimeira ... 23
A mostrar resultados 61 para 69 de 69
Like Tree15Likes

Título: Se eu tivesse que comprar um carro por 2000€...

  1. #61
    Piloto Lendário eblase's Avatar
    Data de Registo
    Jun 2006
    Localização
    Montijo
    Posts
    33,705

    Por Defeito

    Nissan Almera 1.4, € 1.699, Pedroso - Standvirtual

    Disseram este e não mexe mais. Motor muito fiável.


  2. #62
    Piloto de Kart
    Data de Registo
    Jul 2010
    Posts
    289

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por srt Ver Post
    Esses Rovers são bonitos, sem dúvida. Esse problema que falam, imaginem que se compra o carro e se vai ao mecânico e diz "veja se está bem e se estiver mal troque", qual o preço da peça?

    Obrigada pela ajuda!
    Digo com certeza absoluta que 95% dos mecânicos de esquina vão dizer que precisa. Não, não deve precisar e mesmo quando disserem que precisa, é caso para desconfiar e investigar a sério.

    Porque é que eu digo isto? Porque trocar uma junta da cabeça dá bom dinheiro a um mecânico, e obviamente que os menos íntegros vão-se fazer à coisa. Falamos de valores na ordem dos 600€ bem feito, já com mão-de-obra e material todo reforçado a que tem direito.

    Grande parte da má fama dos Rover vem dos (maus) mecânicos. São motores de uma grande complexidade em termos de arquitectura e apertos e a maioria dos Maneis GT faz borrada neles, por isso, a qualquer pessoa que compra um Rover ou carro com motor K-Series só posso recomendar que vá a um especialista da marca. Não tem que ser a um concessionário mas uma oficina especializada ou mecânico Rover são as apostas mais seguras.

    Também não são carros para se abrir o capot a uma vez a cada ano, não! São carros que, devido à sua arquitectura, convém estar SEMPRE atento aos níveis, porque se essa arquitectura trouxe vantagens, também trouxe uma grande desvantagem: qualquer fuga de água e resultante sobreaquecimento pode dar direito a junta da cabeça esturricada.

    Se o futuro dono do carro não souber ter estes cuidados básicos, então qualquer carro com motor K-Series não é minimamente aconselhado. Nem esses nem nenhuns, mas isso é outra história

  3. #63
    srt
    srt está offline
    Pedestre
    Data de Registo
    Mar 2012
    Posts
    23

    Por Defeito

    Sinceramente, nunca tinha ouvido falar da fama dos rovers.
    Convenhamos que também não são carros de que se fale muito. Aliás, nem se vêem muito pelas nossas estradas.

    Pois, eu acredito nisso claro.
    Mas eu nem sei o que é uma junta da cabeça. Se partir o carro não anda mais? Ou fica só a fazer um barulho?
    (vá lá, não gozem comigo).

    E se uma pessoa comprar o carro e puser uma novinha em folha, demora quanto tempo (uma estimativa por alto), até acabar?
    O que é um motor K-series?

    Eu em relação ao meu carro... Nunca lhe abri o capot.

    E a maioria das pessoas devem ser como eu... Ou se calhar não x)

  4. #64
    srt
    srt está offline
    Pedestre
    Data de Registo
    Mar 2012
    Posts
    23

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por Raistaparta Ver Post
    Por isso é que quando me dizem que o carro era do velhinho que só ia levar os netos à escola ou da senhora que era <inserir profissão respeitável> que o usava só para ir à missa, eu viro logo costas e fujo a sete pés. Porque das duas uma: ou é mentira do vendedor ou a ser verdade o carro deve estar todo escafiado. Com todo o respeito que eu tenho pelos nossos idosos eu vejo-os a fazerem com cada atrocidade aos carros que é de bradar aos céus, já vi muitos que para fazerem um estacionamento gastam meia embraiagem e se for preciso ainda levam tudo à frente.
    Eu conhecia a senhora em questão, dava aulas na escola secundária.
    O carro está bem estimado, acredita em mim.
    Excepto isso da embraiagem...

    ... que eu acho que faço exactamente o mesmo quando estaciono xD

  5. #65
    srt
    srt está offline
    Pedestre
    Data de Registo
    Mar 2012
    Posts
    23

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por eblase Ver Post
    Nissan Almera 1.4, &euro; 1.699, Pedroso - Standvirtual

    Disseram este e não mexe mais. Motor muito fiável.

    Já puxa um bocadinho nos km, eu acho...
    Se bem que pode nem querer dizer nada, claro.


  6. #66
    Piloto de Testes MGuedes's Avatar
    Data de Registo
    Aug 2010
    Localização
    Porto
    Posts
    2,160

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por srt Ver Post
    Sinceramente, nunca tinha ouvido falar da fama dos rovers.
    Convenhamos que também não são carros de que se fale muito. Aliás, nem se vêem muito pelas nossas estradas.

    Pois, eu acredito nisso claro.
    Mas eu nem sei o que é uma junta da cabeça. Se partir o carro não anda mais? Ou fica só a fazer um barulho?
    (vá lá, não gozem comigo).

    E se uma pessoa comprar o carro e puser uma novinha em folha, demora quanto tempo (uma estimativa por alto), até acabar?
    O que é um motor K-series?

    Eu em relação ao meu carro... Nunca lhe abri o capot.

    E a maioria das pessoas devem ser como eu... Ou se calhar não x)
    Ok, vamos por partes.

    A Rover é uma marca inglesa que faliu. Os Rovers do inicio dos anos 90 levam motores Honda, muito fiáveis. Daí (1996) para a frente, os motores a gasolina passaram a ser feitos pela própria Rover. Esta "família" de motores é denominada K-Series, e é famosa por ter apenas um problema crónico, mas que se manifesta quase inevitavelmente : a queima da junta da cabeça, em inglês denominada head gasket.

    A junta da cabeça é uma peça que impede a mistura da água e do óleo (desta parte não serei o melhor a explicar, mas é melhor que nada), entre outras funções. Quando esta queima, vais ter água no óleo, e vais detectar isso porque verás uma pasta esbranquiçada junto do óleo. Não, não podes andar com o carro com a junta queimada, pois ele vai aquecer... Demais. Isto ocorre pois a água vai evaporar com as temperaturas elevadas do motor, e vai acabar por se extinguir.

    Nos Rover, se lhes colocares uma junta MLS (normalmente usada nos Land Rover (jipes)), o problema fica resolvido para "sempre", isto é, é muito improvável que se manifeste outra vez.

    Quando abres o capot, há coisas que deves saber verificar, que são do senso comum:
    Óleo : verifica-se através de uma vareta. Puxas a mesma, limpas e voltas a mergulhar. Voltas a puxa-la e verifica se o óleo esta entre as marcas que facilmente verás na dita. Óleo a mais é tão prejudicial como a menos.
    Líquido de refrigeração :deve ser colorido, sinal de que foi utilizado um anti-congelante, ao invés de simples água. Naturalmente, se encontrares água suja aqui, deves pedir ao teu mecânico na próxima visita, que te coloque líquido anti-congelante. No recipiente, tens marcado os níveis de mínimo e máximo, também. (não é urgente a sua troca, no entanto, nunca deixes que desca abaixo do nível minimo)

    Líquido dos para brisas: convém teres lá algo, nem que seja água, por razões óbvias.

    Penso que é tudo..

  7. #67
    Piloto de Kart
    Data de Registo
    Jul 2010
    Posts
    289

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por srt Ver Post
    Sinceramente, nunca tinha ouvido falar da fama dos rovers.
    Convenhamos que também não são carros de que se fale muito. Aliás, nem se vêem muito pelas nossas estradas.

    Pois, eu acredito nisso claro.
    Mas eu nem sei o que é uma junta da cabeça. Se partir o carro não anda mais? Ou fica só a fazer um barulho?
    (vá lá, não gozem comigo).

    E se uma pessoa comprar o carro e puser uma novinha em folha, demora quanto tempo (uma estimativa por alto), até acabar?
    O que é um motor K-series?

    Eu em relação ao meu carro... Nunca lhe abri o capot.

    E a maioria das pessoas devem ser como eu... Ou se calhar não x)
    Por acaso espanta-me a quantidade deles a circular nas nossas estradas, mesmo 8 anos depois da marca falir.

    Então, vou ter que começar do início. O K-Series ou Série K é um motor de origem Rover lançado em 1989 com 1396cc, injecção monoponto e 95cv. Era um motor muito avançado, estreando a arquitectura "sandwich" em motores produzidos em série, era totalmente feito em alumínio e tinha 16 válvulas accionadas por duas árvores de cames. Mais tarde surgiu a versão 1.1 a carburador, esta com 8 válvulas e uma árvore de cames e debitava 60cv. O motor foi sofrendo várias alterações e a injecção monoponto passou a multiponto, aumentando a potência para os 103cv, o carburador dos 1.1 passou a injecção, apareceram as versões 1.6, 1.8 com e sem variação de timing das válvulas e 1.8 Turbo, além dos V6 derivados dessa série. Foi usado pela Rover, pela MG, Land Rover, Lotus, Caterham, Ariel, FSO... enfim, umas boas dezenas de fabricantes.

    Esse motor conseguiu feitos fantásticos. Pode-se dizer que em 1994 um Laguna 1.8 tinha 95cv e um Golf 1.4 tinha 60, potências atingidas em 89 e 91 por motores 1.4 e 1.1, respectivamente, e tudo isto com consumos e emissões contidas.

    Esses feitos foram conseguidos através de muitas soluções de engenharia sofisticada, mas, um dos principais responsáveis pelos baixos consumos é o sistema de refrigeração, que mais tarde veio a provar ser ineficiente e demasiado sensível a fugas.

    Ora, o que é a junta da cabeça? A junta da cabeça é uma chapa metálica com a forma da face do bloco do motor que permite que a cabeça do motor assente no bloco com estanquecidade e sem haver misturas de fluidos. O que acontece é que essa junta tem, neste caso, as bordaduras em silicone (elastómetro) que com o tempo, movimentos ente o bloco e a cabeça e choques térmicos, acaba por romper, acontecendo o fenómeno popularmente chamado de "junta queimada". Quando a junta "queima" pode haver mistura de óleo com água, entrada de água nos cilindros, fuga de água ou óleo pela cabeça... e o que nestes motores é mais frequente é a mistura do óleo com a água, formando um líquido tipo café com leite. Basicamente esse é o único sintoma, eventualmente acompanhado de uma subida anormal da temperatura da água.

    A história provou, nestes 24 anos de circulação dos motores K que isso não é uma questão de se vai acontecer mas sim de quando, isto se tiverem a junta original. Mas também não é o fim do mundo se acontecer. O que agora se faz é substituir essa junta original por uma junta de aço com várias camadas desenvolvida pela Land Rover, que, teoricamente (e na prática) resolve o problema de vez, juntamente com mais umas coisitas reforçadas que contribuem para a coisa. Isto é trabalho, como já disse, para cerca de 600€ para ficar bem feito e nunca mais acontecer.

    Dependendo do trato, uma junta original pode chegar a durar 200.000km. Cá em casa houve um, mas não chegou a tanto. Aos 110.000km levou uma, para voltar a durar até aos 200.000 mas nessa altura ainda não havia juntas reforçadas.

    Ou seja, respondendo à tua pergunta, uma reforçada é, em princípio, para sempre


    EDIT: O MGuedes adiantou-se.
    Raistaparta gosta disto.

  8. #68
    Piloto de Testes MGuedes's Avatar
    Data de Registo
    Aug 2010
    Localização
    Porto
    Posts
    2,160

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por PMLRFC Ver Post
    Por acaso espanta-me a quantidade deles a circular nas nossas estradas, mesmo 8 anos depois da marca falir.

    Então, vou ter que começar do início. O K-Series ou Série K é um motor de origem Rover lançado em 1989 com 1396cc, injecção monoponto e 95cv. Era um motor muito avançado, estreando a arquitectura "sandwich" em motores produzidos em série, era totalmente feito em alumínio e tinha 16 válvulas accionadas por duas árvores de cames. Mais tarde surgiu a versão 1.1 a carburador, esta com 8 válvulas e uma árvore de cames e debitava 60cv. O motor foi sofrendo várias alterações e a injecção monoponto passou a multiponto, aumentando a potência para os 103cv, o carburador dos 1.1 passou a injecção, apareceram as versões 1.6, 1.8 com e sem variação de timing das válvulas e 1.8 Turbo, além dos V6 derivados dessa série. Foi usado pela Rover, pela MG, Land Rover, Lotus, Caterham, Ariel, FSO... enfim, umas boas dezenas de fabricantes.

    Esse motor conseguiu feitos fantásticos. Pode-se dizer que em 1994 um Laguna 1.8 tinha 95cv e um Golf 1.4 tinha 60, potências atingidas em 89 e 91 por motores 1.4 e 1.1, respectivamente, e tudo isto com consumos e emissões contidas.

    Esses feitos foram conseguidos através de muitas soluções de engenharia sofisticada, mas, um dos principais responsáveis pelos baixos consumos é o sistema de refrigeração, que mais tarde veio a provar ser ineficiente e demasiado sensível a fugas.

    Ora, o que é a junta da cabeça? A junta da cabeça é uma chapa metálica com a forma da face do bloco do motor que permite que a cabeça do motor assente no bloco com estanquecidade e sem haver misturas de fluidos. O que acontece é que essa junta tem, neste caso, as bordaduras em silicone (elastómetro) que com o tempo, movimentos ente o bloco e a cabeça e choques térmicos, acaba por romper, acontecendo o fenómeno popularmente chamado de "junta queimada". Quando a junta "queima" pode haver mistura de óleo com água, entrada de água nos cilindros, fuga de água ou óleo pela cabeça... e o que nestes motores é mais frequente é a mistura do óleo com a água, formando um líquido tipo café com leite. Basicamente esse é o único sintoma, eventualmente acompanhado de uma subida anormal da temperatura da água.

    A história provou, nestes 24 anos de circulação dos motores K que isso não é uma questão de se vai acontecer mas sim de quando, isto se tiverem a junta original. Mas também não é o fim do mundo se acontecer. O que agora se faz é substituir essa junta original por uma junta de aço com várias camadas desenvolvida pela Land Rover, que, teoricamente (e na prática) resolve o problema de vez, juntamente com mais umas coisitas reforçadas que contribuem para a coisa. Isto é trabalho, como já disse, para cerca de 600&euro; para ficar bem feito e nunca mais acontecer.

    Dependendo do trato, uma junta original pode chegar a durar 200.000km. Cá em casa houve um, mas não chegou a tanto. Aos 110.000km levou uma, para voltar a durar até aos 200.000 mas nessa altura ainda não havia juntas reforçadas.

    Ou seja, respondendo à tua pergunta, uma reforçada é, em princípio, para sempre


    EDIT: O MGuedes adiantou-se.
    Fantástica explicação ;)

  9. #69

Página 3 de 3 PrimeiraPrimeira ... 23

Regras de Colocação

  • Não pode criar tópicos
  • Não pode responder
  • Não pode colocar anexos
  • Não pode editar os seus posts
  •